História do Santuário

O Santuário do Senhor Bom Jesus na Bahia é uma gruta de pedra descoberta há mais de 350 anos pelo português Francisco Mendonsa Mar que era pintor e artista plástico, contratado pelo governador geral do Brasil na Bahia para pintar o Palácio da Aclamação, então sede do governo. Após os trabalhos, ao invés de receber, foi jogado na prisão como escravo e açoitado. Quando solto, decidiu deixar a cidade do Salvador e levou consigo as imagens de Jesus crucificado e Nossa Senhora da Soledade. Após andar muitos meses, encontrou o Morro de Bom Jesus da Lapa, que possui 90 metros de altura. Dentre as nove grutas existentes no morro, abrigou-se na Gruta do Bom Jesus, onde colocou as duas imagens.

No período dos garimpos de ouro em Minas Gerais, os garimpeiros passavam perto da gruta e viam a luminosidade das velas que ele acendia, e assim foram se formando as romarias.

Hoje, trezentos anos depois, o santuário ainda atrai muitos romeiros, sendo um dos santuários mais conhecidos do Brasil. O zelo pastoral do santuário está entregue aos padres da Congregação do Santíssimo Redentor (CssR), popularmente conhecidos como Redentoristas.

Também em Jardinópolis, estado de São Paulo foi erguido um Santuário em homengaem ao Senhor Bom Jesus da Lapa no ano de 1913. O motivo da criação foi por uma promessa feita por Pequena do Nascimento, cega, que saiu de Bom Jesus da Lapa, na Bahia pedindo ao Bom Jesus que voltasse a enxergar e onde acontecesse este milagre ela ergueria uma igreja em homenagem ao Bom Jesus.

A festa em louvor ao Senhor Bom Jesus da Lapa já existe há 97 anos e sua novena e reúne milhares de fiéis no período de 28 de Julho a 06 de Agosto (dia do padroeiro), transformando a pequena cidade em uma romaria que recebe fiéis de todo o Estado de São Paulo.

Arquidiocese de Ribeirão Preto - SP

Criãção do Santuário: 20 de maio de 2006

Reitor: Pe. Ilson Vicente Olimpio